Porque fazer?

Se questionarmos os porques que nos levam a destinar todo um tempo/trabalho/dedicação pela busca na vaidade de algo que nos complete, poderia ficar citando milhões de motivos.

Durante toda uma vida, conviver com um desconforto que para uns parece bobagem, mas que cedo ou tarde irá surgir, parece ser o maior motivador de tudo, mas será?

Durante muito tempo, eu convivi numa boa com o tamanho do meu pênis, mas de uns 2 anos pra cá, começou a me incomodar muito.

Para um cara como eu, o tamanho do pênis numa relação, dependendo da intimidade que se tem com a pessoa, pode ser algo traumatico.

Nunca me disseram que o meu pau é pequeno, e durante grande parte da minha vida sexual, me deparei com pintos muito maiores e também bem menores que o meu, só que eu confiava na minha performance, e não tenho o que reclamar dela. Mas hoje, o tamanho dele me incomoda bastante. Pois além de performance, eu quero oferecer o prazer de segurar, de olhar, de se sentir penetrar por um pinto grande e grosso.

Tem uma cena de Sex and the City que a Samantha diz exatamente isso: I love a big dick, I love it inside of me, I love looking at it, I love everything about it. (Sex and the City, Video Clip, 1998), e eu concordo plenamente com ela.

Essa cena parece brincadeira, mas é a grande real, tanto para garotas como para garotos.

Todas as minhas amigas, longe de seus namorados falam de pinto, por incrivel que pareça. Falam sobre o tamanho do pau deles, de como trepam, reclamam do pau de outros, reclamam que o pau deles podia ser maior…enfim…

Uma garota sempre quer um grande pau, e isso é fato. Um rapaz gay também quer ver um grande pau.

Além de tudo, temos aquela referencia de pornô, dos caras com pintos gigantes satisfazendo a todos.

Tem também a situação de competir no vestiário (mentalmente) qual é o maior pau, e também de expor um pinto grande sem ter vergonha no mictório.

Enfim, são diversas situações que causam desconforto. Além da vergonha de me mostrar nú em frente a outros homens, vem aliada a grande vontade de retribuir o prazer de ver, tocar e sentir um grande pinto (em tamanho e performance).

Por essas razões, começei a cerca de 1 ano a praticar apenas o jelq. Fui devagar, mas acabei não levando muito a sério. Tinha receio, e não consegui adapatar a minha rotina pois morava com meus pais e era bem complicado conseguir privacidade. Tinha apenas a hora do banho para fazer, mas acabei queimando varias resistências de chuveiro ao praticar o aquecimento. Por isso parei.

Depois comprei uma bomba a vácuo, mas não adiantou muito. Usei umas 4x e logo a aposentei. Também precisava de muita privacidade, coisa que eu não tinha.

A 1 mês, movido pela vontade, e por hoje ter mais privacidade (pois moro sozinho), comprei um extensor, depois de pesquisar bastante, claro, mas comprei o primeiro que encontrei. No inicio, foi muito dificil, mas com o passar dos dias, arrumei a minha rotina, me adaptei completamente. Uso o aparelho no trabalho, aprendi a conciliar meus movimentos com o aparelho, aprendi a controlar o encolhimento do meu pau, a tensão correta ao “amarrar” a base do pênis após o jelq, como se fosse um anel peniano. Aprendi a fazer corretamente o jelq e a adptar o meu horario para isso.

E quando tudo parecia ir em plena harmonia, começam a aparecer os resultados.

São muito sutis, é um estiramento que você não reconheçe de antes, um peso maior do que o que você estava acostumado, ereções mais rígidas, textura diferente. Enfim, são diversas sutilezas que vão surgindo e que provam o quanto antes começar, melhor!

Portanto, se existe sequer UM dos milhões de motivos para se ter vergonha do tamanho do seu pau, reflita um pouco em como adaptar uma rotina no seu dia a dia, vale a pena.

Confesso que no começo eu estava com o pé atrás, porém com certa esperança. Mas a coisa deu certo, e irei até o fim, e se possivel, até utrapassar a minha meta.

Vai aqui meu incentivo para quem ainda não começou. Comece! Pois com disciplina e vontade, o pinto que queremos vai chegar. Demora, com certeza, não vai ser da noite pro dia, mas uma hora chega, e ai não vai mais ser necessario reclamar, e iremos dar risada dos papos sobre pinto grande e pequeno.

Não é facil, é bem trabalhoso, as vezes dá preguiça, as vezes doi levemente, tem que conter a vontade de se masturbar a toda hora, esconder ou escolher contar para algumas pessoas, mas é um trabalho que tem um “grande salário”.

Mas mesmo assim, estou em busca da mala dos meus sonhos!

2 thoughts on “Porque fazer?

  1. Interessante ver a perspectiva do “outro lado”.

    Imagino que haja uma expectativa ainda maior, em relação ao tamanho do pinto, no mundo gay.

    Porque mulher ainda tem aquele aspecto de estar buscando um PROVEDOR financeiro. Então elas sacrificam as expectativas sexuais por segurança de um relacionamento.

    Siga firme e os resultados sempre virão!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s